Prefeitura de Três Pontas

Você sabia?
Imprimir Email

Notícias

TURISMO RELIGIOSO

por Roger Campos / Assessoria de Imprensa - PMTP

29/10/2013 10:51

TURISMO RELIGIOSO

 

PADRE VICTOR

padre victor

BIOGRAFIA

Padre Victor nasceu em Campanha - MG, no dia 12 de abril de 1827 e foi batizado, em 20 de abril do mesmo ano, pelo Padre Antônio Manoel Teixeira. Era filho da escrava Lourença Maria de Jesus. Sua madrinha de Batismo foi a senhora Marianna Bárbara Ferreira.

Dom Antônio Ferreira Viçoso, bispo de Mariana - MG, visitou Campanha - MG no ano de 1848. Victor, então alfaiate, procurou Dom Viçoso na ocasião, manifestando-lhe o desejo de ser padre. O Bispo o recebeu com grande alegria. O jovem dirigiu-se da cidade de Campanha - MG ao Seminário de Mariana - MG, onde foi aceito em 05 de junho de 1849.

O bispo Dom Viçoso o apoiava e muito o estimava, chegando a proclamar as virtudes desse jovem. Ordenado em 14 de junho de 1851, permaneceu em Campanha - MG, como coadjutor, de 17 de agosto de 1851 até 13 de junho de 1852. Veio para Três Pontas – MG, em 14 de junho do mesmo ano, como Vigário Encomendado. Logo que assumiu seus trabalhos na Paróquia, visitava doentes, amparava os inválidos, zelava pela infância desvalida, atendia a população em suas necessidades. A sua dedicação, as suas virtudes o fizeram admirado por todos, pois assumiu a direção da Paróquia, com zelo e carinho, colocando-se, assim, acima de todas as críticas. Procurou catequizar e instruir o seu povo, chegando a criar a escola “Sagrada Família”, com uma organização perfeita. Por ele passaram brasileiros de grande projeção social: Dom João de Almeida Ferrão, primeiro bispo de Campanha - MG; Cônego José Maria Rabello, que foi seu coadjutor em Três Pontas. Padre Victor instruiu muitos filhos de famílias humildes, fazendo deles grandes homens de cultura, que passaram a viver da inteligência, nas mais variadas profissões.

padre victor

Padre Victor pregou, pelo exemplo, a fé, a esperança, a fortaleza, a prudência, a justiça, a obediência, a castidade, a temperança, a humildade, o temor a Deus e, sobretudo, a caridade. Amava a Deus na pessoa do seu semelhante, de modo especial nos mais pobres. Os paroquianos, em suas necessidades, recorriam a ele. Era bom, porém enérgico.  “Padre Victor vivia de esmolas e dava esmolas”.

Paroquiou Três Pontas - MG, por cinquenta e três (53) anos. Faleceu no dia 23 de setembro de 1905. A notícia abalou a cidade e toda a região, que já o venerava. A população chorou a morte de seu líder, de seu protetor, do mensageiro entre Deus e os homens. Ficou insepulto três dias e, de seu corpo, exalava perfume. Tendo em vista o grande número de pessoas que compareceram ao sepultamento, fez-se necessário fazer uma procissão pelas ruas da cidade, voltando novamente à Matriz - por ele construída - onde foi enterrado.

Padre Francisco de Paula Victor é considerado pelos trêspontanos como o seu “Anjo Tutelar”.

Mais informações: http://www.padrevictor.com.br/site/

BEATIFICAÇÃO E CANONIZAÇÃO

-Em 24 de abril de 1990, Dom Aloísio consultou a Conferência dos Bispos do Brasil sobre a oportunidade de se iniciar o Processo de Beatificação. Informada, a Congregação das Causas dos Santos (Roma) responde que nada tinha contra a abertura do processo.

 - Em 16 de julho de 1993 há a abertura do tribunal Eclesiástico para escutar testemunhas e analisar o pedido.

- Em 12 de Junho de 1998 foi feita a exumação para o reconhecimento dos restos mortais de Padre Victor.  Os restos mortais do Servo de Deus foram levados até o Carmelo São José, para estudos de peritos médicos e o trabalho de conservação.

- Em 28 de junho de 1998, houve a transladação do Carmelo para a Igreja Nossa Senhora D’Ajuda.

- Em agosto de 1998 todo material recolhido pelo Tribunal Eclesiástico é levado para Roma e entregue à Congregação das Causas dos Santos.

- O processo, depois de examinado, recebeu o “Decreto de Validade” da Congregação das Causas dos Santos.  Já cumprido as exigências de teólogos, bispos, cardeais, Padre Victor recebeu o decreto de virtudes heroicas.

- No dia 05 de junho de 2015, o Papa Francisco promulga o decreto relativo ao milagre atribuído à intercessão de Padre Victor.

A cerimônia e a procissão em ações de graças pela beatificação de Padre Victor aconteceu no dia 15 de novembro do mesmo ano, e foi realizada com a presença de mais de quinze mil fiéis de todo o país. Um dia depois das festividades, durante a Oração do Angelus, Papa Francisco comentou a beatificação:

"Em Três Pontas, no Estado de Minas Gerais, no Brasil, está proclamado beato dom Francisco de Paula Victor, sacerdote brasileiro de origem africana, filho de uma escrava. Pároco generoso e excelente na caquetese e na ministração dos sacramentos, se distingue sobretudo pela sua grande humildade. Possa o seu extraordinário testemunho servir de modelo para todos os sacerdotes, chamados a ser humildes servidores do povo de Deus."

ASSOCIAÇÃO PADRE VICTOR

Constituída após convite feito, na igreja, a toda a população para um encontro no dia 24 de outubro de 1996. Poucas pessoas compareceram, mas a finalidade foi atingida: funda-se a Associação. Em Assembléia Geral, foi eleita a Diretoria, o Conselho Fiscal e o Conselho Deliberativo.

Sociedade civil, sem fins lucrativos. Seu estatuto foi registrado em 21 de novembro de 1996. Dentre os seus objetivos está a divulgação das virtudes do Servo de Deus Padre Victor.

Para facilitar aos seus devotos e aos romeiros, organizou-se um bazar, a fim de que todos pudessem adquirir objetos ligados à vida do Servo de Deus.

Em 24 de maio de 1998, com grande esforço da Associação e a ajuda de Padre Luiz Sérgio Mafra, inaugurou-se o "Memorial Padre Victor", na rua Azarias de Brito Sobrinho, nº. 61, com a presença do Bispo Diocesano da Campanha, Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho. Esse era um grande desejo de todos os trespontanos e romeiros. Hoje, o Memorial Padre Victor está estabelecido na Praça Cônego Victor, nº.45.

Muitos objetos que pertenceram ao Padre Victor já foram doados ao Memorial. Espera-se que todos os que estejam com a guarda de objetos do Padre Victor os encaminhem para a Associação. Só assim todos poderão conhecer melhor a história do nosso Anjo Tutelar.

A Associação Padre Victor tem por objetivo desenvolver o conhecimento da vida e da obra de Padre Victor, como modelo de vivência cristã e sacerdotal, promovendo o seu Processo de Beatificação e Canonização.

Associação Padre Victor de Três Pontas: Praça Cônego Victor, n.º 45, Três Pontas – MG. CEP: 37190-000. Telefax: (35) 3265 2627 E-mail: contato@padrevictor.com.br

 

ORAÇÃO PELA BEATIFICAÇÃO DE PADRE VICTOR

 

Pai Santo,

Vós tornastes o Venerável Padre Victor

um sacerdote segundo o Coração de Cristo:

fiel no vosso serviço e dedicado às crianças e aos pobres.

Por sua intercessão, dai-nos santos sacerdotes

e concedei-nos a graça de que mais precisamos [...]

Que o seu testemunho sirva de modelo para nós.

E a Mãe Igreja o eleve à honra dos altares.

Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

Pai Nosso, Ave-Maria, Glória.

 

MISSA DOS ROMEIROS DO PADRE VICTOR

Aos domingos, às 10 horas e 30 minutos, é celebrada Missa na Matriz de Nossa Senhora D´Ajuda, Três Pontas - MG, pela Beatificação do Padre Victor, com a presença dos devotos e romeiros. É o momento em que os presentes recebem do sacerdote celebrante uma bênção especial.

No Memorial Padre Victor, situado na Praça Cônego Victor, n.º 45, Os romeiros poderão conhecer objetos que pertenceram ao Servo de Deus e adquirir lembranças. Ali, os membros da Associação Padre Victor de Três Pontas registram as romarias, os visitantes e as graças alcançadas.

Àqueles que alcançarem graças, através da intercessão do VENERÁVEL, Padre Victor, solicitamos que nos escrevam, relatando  o ocorrido ou, se vierem À Três Pontas, que nos procurem no Memorial Padre Victor para dar o seu testemunho. Procurem divulgar o Venerável Padre Victor para seu vizinho, pessoas conhecidas, enfim, para todos, solicitando sempre muitas orações para que, em breve, Padre Victor seja beatificado.

MEMORIAL PADRE VICTOR

Praça Cônego Victor, 45 – Centro - Três Pontas – MG. CEP: 37190-000. Telefax: (35) 3265 2627 / (35) 3265 3403 E-mail: contato@padrevictor.com.br / padrevictor@tpnet.psi.br

 

Horário: Segunda a sexta-feira: de 8 a 12h e 14 a 18h / Sábados: de 8 a 12h e 14 a 16h / Domingos: de 8h a 12h.

 

MINA DO PADRE VICTOR / PARQUE MULTIUSO

O Parque Multiuso PREFEITO PAULO DE PAIVA LOURES, CONHECIDO COMO Mina do Padre Victor também é um local de grande visitação de romeiros. Muitos fiéis vão ao local para ter contato com a água desta mina que para muitos é benta e santifica. Por isso, além de tomar a água no local e lavar o rosto, há aqueles que se utilizam de galões e litros para levar uma quantidade maior dessa água para casa. O Parque Multiuso possui ainda quadra poliesportiva coberta e uma enorme área de lazer. Está localizado na Avenida Senador Josino de Brito, 940, Três Pontas, MG.

 

CARMELO SÃO JOSÉ

A Fundação do Carmelo São José de Três Pontas ocorreu a 16 de julho de 1962, ano histórico do quarto centenário de reforma de Santa Teresa de Jesus.

Este Carmelo saiu do Carmelo de Santa Teresinha, de Aparecida – SP. A fundadora de nosso Carmelo foi nossa saudosa Mãe Teresa Margarida do Coração de Maria, que faleceu em novembro de 2005, em nossa cidade. Ela contou que, durante a novena de Nossa Santa Madre, provavelmente no ano 1954 ou 1955, a priora do Carmelo, de Aparecida, Madre Raimunda dos Anjos, chamou-a e falou-lhe que a Diocese da Campanha, através de seu vigário geral, Monsenhor João Rabello de Mesquita, pedia a fundação de um Carmelo, e achava que a única pessoa que poderia assumi-lo seria ela – Nossa Mãe. Ela respondeu-lhe “Três tentações nunca tive na vida: contra minha fé, minha vocação e o desejo de ter algum cargo importante. Mas farei o que a obediência mandar”.

Sete anos se passaram o Bispo da Campanha, Dom Inocêncio Engelk faleceu. Monsenhor Mesquita não via possibilidade da fundação realizar-se em Campanha. Surge a idéia de ser em Três Pontas. E assim aconteceu.

Dia 16 de julho de 1962 . “Amanhecia o primeiro dia do Carmelo São José em Três Pontas. Foi rezado o Oficio das Leituras, cantando o Laudes, Te Deum, rezado o “Veni” do principio da oração. Naquele tempo era costume de ler o ponto de medida. Qual não foi a nossa agradável surpresa, quando abrindo o caderninho, lá encontramos o trecho do Evangelho:” Não temais, pequeno rebanho, porque aprouve ao vosso Pai, dar-vos seu reino.”

A princípio as irmãs residiram em casas emprestadas por famílias amigas.

Enquanto isto, entre muitas dificuldades, sem trabalho certo. Contava-se única e exclusivamente com Divina Providencia e com a caridade do engenheiro Dr. Giovani Brito Miari, que assumiu a direção da Construção. Enquanto se levantavam as paredes do edifício material, o edifício espiritual também se edificava, com a chegada de novas vocações. Vocações - graça imensa que nunca faltou em nosso Carmelo.

As irmãs Carmelitas agradecem de coração as pessoas que fazem doação ao Carmelo, em oração rogam a Deus que derrame ricas benção sobre todos.

Durante o tempo da construção percebia-se claramente a ajuda de Deus. Donativos grandes apareciam na hora exata de vencer a conta. Por duas vezes, pedimos e obtivemos auxilio “ADVENIAT”, uma ajuda recebida de uma entidade sediada na Alemanha. Por trás de tudo isso a comunidade rezando, de hora em hora, a jaculatória “Sagrado Coração de Jesus, eu tenho confiança em Vós”, com os braços em cruz, cinqüenta vezes.

No dia 23 de Janeiro de 1969, tivemos a alegria imensa de mudarmos para o novo mosteiro. Estava tudo inacabado. Mas em fim, era nossa casa, conta nossa Mãe.

Para a manutenção e pagamento das dívidas, tentavam-se tudo: empréstimos bancários, gravação de discos, fabricação de sabão, criação de galinhas, cartões de papel vegetal, fotografias. Atualmente, as irmãs trabalham ainda com os cartões de papel vegetal, restauração de pinturas de imagens de gesso e na fabricação de hóstias. Graças a Deus não falta nada, mas também não sobra nada.

No Carmelo São José está localizado o Memorial da “Nossa Mãe”, onde também se encontra os restos mortais da Serva. Os visitantes têm a oportunidade de conhecer uma pouco da história da Serva de Deus, através de seus pertences e documentos históricos. No local também há uma loja de souvenir com objetos religiosos. 

O Carmelo São José é aberto à visitação todos os dias, com exceção do primeiro domingo de cada mês, dia de retiro das irmãs. Todos os dias acontece missa às 07h00minh.

Localização: Rua Amazonas, n.º 40, Três Pontas – MG. CEP: 37190-000

Tel: 3265 4300 e 3265 1041

 

NOSSA MÃE

“Nossa Mãe” viveu no Carmelo São José em Três Pontas e sua vida foi totalmente dedicada a Deus e aos irmãos. As irmãs Carmelitas de Três Pontas vivem o início do processo de Beatificação de Nossa Mãe. Desde que chegou de Roma a licença para a abertura do processo de beatificação de Teresa Margarida do Coração de Maria, “Nossa Mãe”, em 07 de julho de 2011, a vida das enclausuradas ganhou, literalmente, uma causa nobre.

O reconhecimento do povo de Deus, vai se transformar em um processo de beatificação da Serva de Deus Nossa Mãe, outra benção para Três Pontas, que pedia para aquela mulher de pequena estatura, mas de coração enorme, suas orações e conselhos.

EXUMAÇÃO

Os restos mortais foram retirados do túmulo no Cemitério. Fechado ao público, alguns religiosos participaram. Foram quatro irmãs do Carmelo, os padres Vânis, Ednaldo e Rogério, pedreiro e mestre de obras, e policiais militares que ajudaram na segurança do traslado. Da Diocese da Campanha, Dom Diamantino Prata de Carvalho que fez as orações durante a abertura do caixão. De Roma o postulador da Causa, Dr. Paolo Villota já está na cidade e participou do ato. Quando chegou ao Carmelo, os sinos soarem o que chamou a atenção dos vizinhos, que pararam em frente ao prédio e do grupo de oração Kerigma, que se reúne todos os domingos a noite na capela.

Durante aquela semana, os ossos passaram por tratamento para não deteriorarem. Eles foram colocados em uma capela mortuária, construída anexo a igreja do Carmelo. O local que já está pronto tem entrada independente ao público, sem interferir na rotina da Casa e fica aberta o dia todo.

A obra coordenada pela arquiteta Daniele Figueiredo Brito Barbosa, explicou às irmãs, quais os significados de cada item usado na edificação.  No fundo do vidro há um crucifixo, com uma parede toda de pedras portuguesas brancas, representando o povo de Deus. As paredes são de madeira, significando a vida de austeridade do Carmelo. O chão é todo de granito com algumas manchas escuras, representando o mundo de hoje, tão conturbado, cheio de problemas, como a miséria e a violência; contou Irmã Vânia. O túmulo é todo branco, significando a vida de santidade e pureza de nossa Mãe, que dentro do Carmelo, conseguiu enxergar o povo de Deus.

PROCESSO

nossa mãe

Para cuidar do processo de beatificação, Dom Diamantino nomeou duas comissões - um Tribunal Eclesiástico e a Comissão Histórica, com cargos e posições definidas dentro da Diocese. O juiz delegado padre Ednaldo Barbosa, o promotor padre Rogério Silva e o notário Ronaldo Frigini de São João da Boa Vista já com experiência em processos de beatificação que já começou a trabalhar, ouvindo testemunhos sobre a Madre, começando pelas irmãs de outras comunidades que já estão hospedadas no Carmelo São José, formam o Tribunal Eclesiástico. A notária é irmã Maria Luiza. A Comissão Histórica, encarregada de procurar os escritos, reportagens veiculadas na imprensa, cartas, presentes e recordações, tem como responsável padre Vânis Vieira, irmã Elisabeth e a sobrinha da Serva de Deus, Carmem Sylvia Marques de Carvalho, que seguiu as orientações do postulador Paolo Villota, e já está digitando documentos, comentários, versos, poesias e cantos. A priora, aproveita para mais uma vez pedir ajuda da comunidade, já que foram poucas coisas da Madre Tereza que foram levados ao Carmelo para ser incluso no processo. “Quero deixar bem claro que nada disso será divulgado, nem vai aparecer o nome de quem recebeu uma correspondência com conselhos dela, pois podemos encontrar coisas sobre a intimidade das pessoas. Precisamos e ter em mãos, a sua forma de atuação”, explicou irmã Vânia.

ORAÇÃO PELA BEATIFICAÇÃO DE NOSSA MÃE

Madre Teresa Margarida, “Nossa Mãe”

Trindade Santa, vós ornastes vossa serva, Madre Teresa Margarida do Coração de Maria, Nossa Mãe, com inúmeras virtudes. Nutria profundo amor a Vós e ao próximo, acolhia e escutava a todos que a ela acorriam e, sorrindo, procurava fazer o bem.

Confiando em sua intercessão, peço-vos a graça de que necessito (...) E se for para vossa glória e o bem da Igreja, suplico-vos que ela seja elevada à honra dos altares. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

 

Gloria ao Pai (3x)

 

Assessoria de Imprensa

Prefeitura Municipal de Três Pontas



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página